Prefeituras com sistemas em nuvem atendem às demandas dos cidadãos cada vez mais conectados

Matéria publicada no NSC Total. Leia na íntegra:



Administrações públicas que ainda tramitam processos em papel e usam sistemas de gestão obsoletos, tiveram dificuldades para manter atendimentos durante a pandemia


A computação em nuvem (cloud computing) é realidade na vida de milhões de pessoas e tem benefícios mais que conhecidos. Pense, por exemplo, na agilidade garantida pelo uso das ferramentas de acesso remoto a planilhas, editores de texto, armazenamento de arquivos, entre outros sistemas. Agora, quando todo o mundo sofre com a pandemia do Coronavírus, os benefícios surgem com ainda mais força: no uso de aplicativos de mensagens instantâneas, nas aulas online, nas reuniões à distância.


O movimento em direção à computação em nuvem começou pelo setor privado – onde avança de forma acelerada. Mas também os serviços públicos se beneficiam da tecnologia. Em 2018, cerca de 30% das instituições das diversas instâncias de governo no país já utilizavam a tecnologia. A popularização do conceito de smart cities deve fazer esse percentual crescer nos próximos anos.


Durante o afastamento social, a tecnologia possibilita que o serviço público mantenha em funcionamento atendimentos essenciais, que podem ser acessados pelos Servidores Públicos e pela população de casa, utilizando qualquer dispositivo conectado à internet.


Os sistemas de gestão pública online são importantes, por exemplo, para a continuidade do trabalho em área como o setor de compras, contabilidade e pagamento de fornecedores, gestão de pessoal e atendimentos nos Postos de Saúde e UPAs dos municípios – funções que não podem parar mesmo durante uma situação extrema como a quarentena. Entre as muitas tarefas que podem ser executadas digitalmente estão a compra de materiais para a área de saúde – como máscaras, luvas e medicamentos – e até a organização da folha de pagamentos do funcionalismo.


— A tecnologia cloud computing, com o armazenamento e o acesso a dados em nuvem, possibilita que o cidadão e o servidor público utilizem os sistemas de gestão a partir de qualquer lugar e de diferentes equipamentos (tablets, computadores, celulares). Isso acelera os processos e simplifica o relacionamento da administração pública com as pessoas — diz o diretor-presidente da IPM Sistemas, Aldo Mees.



Home office na Gestão Pública




App Atende.Net



Em Santa Catarina, Prefeituras com processos digitais, usando a tecnologia cloud computing, mantém em funcionamento os serviços essenciais, que podem ser acessados de casa tanto pelos Servidores Municipais, quanto pela população, utilizando qualquer dispositivo conectado à internet, 24 horas por dia, de qualquer lugar. Rio do Sul, Concórdia, Videira, Palhoça, Pinhalzinho, Brusque, Balneário Piçarras e Benedito Novo, entre outros municípios também são exemplos.


Segundo o secretário de Administração e Fazenda de Rio do Sul, Alexandre Pereira, durante o período de pandemia, a equipe atua em escala de trabalho, resolvendo os vários procedimentos que acontecem em uma Prefeitura cotidianamente. O secretário declarou que muitos Servidores permanecem em casa, mas continuam com o dever de atender às demandas da população de forma remota, trabalhando em regime home office, o que é possível com o uso da ferramenta desenvolvida pela empresa catarinense IPM Sistemas.


Por meio do Atende.Net da IPM, os cidadãos podem solicitar vários serviços digitalmente, incluindo certidões negativas de débito, ouvidoria e consultoria municipais, consulta de processos e de licitações, emissão de alvarás, até pedidos de licenciamento de obras, entre outros. Além de Santa Catarina, outros municípios de pequeno, médio e grande porte no Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo também utilizam os processos digitais.


Por ser em nuvem, o sistema de gestão permite que as atividades prossigam normalmente mesmo à distância, já que os Servidores Públicos precisam apenas da conexão a internet para realizar consultas, emitir relatórios, elaborar ofícios, memorandos e desenvolver outras atividades típicas da administração. Quando há o uso de sistemas antigos, baseados em redes de dados, com acesso por desktops, o Servidor precisa deslocar-se até o local de trabalho para executar suas tarefas. O mesmo ocorre com os cidadãos, que não podem solicitar serviços online.




Para aprimorar os atendimentos online, a IPM desenvolveu o videoatendimento, disponível na plataforma de gestão.                                Para aprimorar os atendimentos online, a IPM desenvolveu o vídeo atendimento,                                                                                      disponível na plataforma de gestão. (Foto: IPM/Divulgação)




Destaque no setor, empresa de tecnologia expande atuação no Brasil


Fundada há mais de duas décadas, a IPM Sistemas dedicou oito anos exclusivamente para desenvolver e homologar um sistema próprio de computação na nuvem. Isso foi o diferencial para ter um produto que gera diminuição de despesas para as Prefeituras, conduzindo à consolidação nos estados do Sul do país e a expansão de atividades para o Sudeste do Brasil.


A ferramenta digital desenvolvida pela IPM é mais acessível e não exige a implantação de um Centro de Processamento de Dados próprio do Município.


— Funciona totalmente online. Tanto gestores, quanto o cidadão comum acessam a ferramenta pela internet usando um smartphone, um tablet ou um notebook a qualquer horário do dia, em qualquer lugar do mundo. Imagine o prefeito em uma viagem para a capital ou para Brasília. Pelo próprio celular ele pode, por exemplo, assinar vários documentos digitalmente, evitando o acúmulo de trabalho para quando retornar ao seu Município — afirma Aldo Mees.




Compartilhe
FacebookTwitterEmail

Newsletter IPM

Cadastre-se e receba novidades sobre nossos sistemas.

© 2020 IPM Sistemas de Gestão Pública. Todos os direitos reservados.