Maio Amarelo na IPM busca a conscientização pelo exemplo

Você pode atender ou não atender o telefone. Usar ou não usar o cinto de segurança. Beber ou não beber antes de dirigir. Com a hashtag #AMinhaEscolhaFazADiferença, o Movimento Maio Amarelo busca a conscientização e o debate sobre ações de prevenção aos acidentes de trânsito durante todo o mês. Na IPM Sistemas, são dezenas de colaboradores que, diariamente, percorrem muitos quilômetros para realizar atendimentos aos clientes, implantações de sistemas ou reuniões de negócios. E reforçar a importância deste mês foi uma das preocupações da Comissão Interna de Prevenção a Acidentes (Cipa).

Por isso, ações alusivas ao mês também foram desenvolvidas pela empresa, com o objetivo de trabalhar a conscientização dos funcionários – em especial, os que utilizam periodicamente os veículos da frota. Como uma dessas ações, conversamos com dois colaboradores que percorrem milhares de quilômetros por mês, para sabermos quais seus principais cuidados e como conseguem cumprir os requisitos de direção defensiva.

Prudência e cuidado, sempre

Estradas em situações precárias, pistas mal sinalizadas e radares instalados em locais 'estratégicos'. Nem todo o trajeto é tranquilo como poderia (ou deveria) ser. Mas a diferença está na cautela que o motorista tem ao dirigir nestas vias. É o caso do técnico de suporte Fábio Zettermann. Ele percorre mais de mil quilômetros por mês. Há praticamente dois anos enfrentando uma rotina intensa de viagens, Zettermann redobra a atenção enquanto dirige.

Na região em que ele costuma transitar (no Leste do Rio Grande do Sul), encontra pistas mistas, asfaltadas e, muitas delas, duplicadas. Não importa a condição do trecho. Para o colaborador, o respeito à sinalização e aos limites de velocidade deve ser uma premissa básica. “Também considero essencial que todos pratiquem a direção defensiva”.

De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran/PR), a definição de direção defensiva consiste em “dirigir de modo a evitar acidentes, apesar das ações incorretas dos outros e das condições adversas, que encontramos nas vias de trânsito”. Ou seja, um bom motorista não deve estar atento somente às suas atitudes no trânsito, mas também a todos os elementos que o compõem: vias, sinalização, pedestres e demais condutores, além de observar atentamente as condições do veículo que está utilizando. Zettermann ratifica que avaliar o veículo antes de pegar a estrada também é essencial. Para ele, esta análise minimiza a necessidade de paradas desnecessárias e ajuda a evitar acidentes provocados por problemas mecânicos.

Antonio José Begnini, gerente de projetos da IPM, compartilha da mesma opinião. De acordo com ele, a manutenção periódica do veículo é garantia de uma viagem mais segura. Antes de iniciar sua longa rotina nas estradas – Begnini percorre, em média, 6 mil quilômetros por mês –, confere as condições dos pneus, freios, amortecedores, além da água e do óleo. Outro ponto observado pelo gerente consiste na verificação do checklist – uma listagem elaborada pelo Departamento de Frota da empresa, que considera pontos essenciais que devem ser observados pelo colaborador/motorista, antes que ele saia com o veículo.

Conforme Begnini, descansar antes de pegar a estrada e estar sempre atento aos limites de velocidade são outros cuidados importantes que devem ser tomados por parte dos motoristas. “A maior preocupação que devemos ter quando estamos dirigindo é com quem está nos esperando em casa”, reflete.

Saiba mais sobre as ações nacionais do Movimento Maio Amarelo clicando aqui!

Compartilhe
FacebookTwitterGoogle+Email

Newsletter IPM

Cadastre-se e receba novidades sobre nossos sistemas.

© 2017 IPM Sistemas de Gestão Pública. Todos os direitos reservados.