Sistema Emulado x 100% Nuvem: confira as principais diferenças
IPM - Blog
Governo Digital Governo Digital

Um dos principais riscos que os gestores correm, quando sentem a necessidade de trocar o software de gestão, é com a segurança dos dados. E o primeiro perigo é desconhecer as diferenças entre sistemas em desktop e WEB. Por consequência, muitos acabam usando um sistema Emulado achando que é 100% Nuvem. 

Com a pandemia de covid-19, a necessidade de distanciamento social fez crescer a demanda por serviços oferecidos pela Internet. Isso inclui o trabalho dos órgãos públicos, como Prefeituras, Fundos e Fundações. Para seguir atendendo com segurança, então tornou-se fundamental ter um sistema com acesso 24h e de qualquer lugar. Além disso, novas legislações já exigem essa presença digital.

Mas, como fazer isso?

A solução é contratar um sistema WEB, ou seja, trabalhar com a computação em nuvem – do inglês cloud computing. O problema é que parte significativa das entidades públicas ainda utilizam o sistema desktop.

Então, na pressa para solucionar a questão e ao desconhecer as tecnologias, muitas entidades estão contratando sistemas Emulados achando que estão 100% em nuvem. Porém, nesse caso, não é feita a migração do sistema desktop para a WEB, mas uma simulação disso.

“Um sistema desktop só pode ser utilizado lá dentro da Prefeitura, naquela máquina onde está instalado. Já os sistemas 100% nuvem permitem que, através de qualquer equipamento conectado à Internet, você consiga processar e fazer a movimentação do sistema”, explica Elvio Meurer, gerente de Vendas da IPM Sistemas.

“No caso do Emulado, ele é desenvolvido em uma plataforma desktop e sofre ação de um software intermediário, para que o processamento seja em nuvem. Só que isso acaba não acontecendo. O processamento acaba ocorrendo dentro da Prefeitura e exige altos custos para o município na parte de banda de internet”, alerta Elvio. 

> Vídeo: Elvio Meurer destaca principal diferença entre os sistemas

 

Tecnologias antigas correm mais risco de ataques cibernéticos

Conforme Nayron Hubel, diretor de TI da Prefeitura de Araucária (PR), há muitos sistemas sendo oferecidos como nuvem no mercado, o que gera riscos às instituições.

“Há uma diferença muito grande entre o sistema em nuvem propriamente dito e o sistema tipo nuvem, que são softwares que emulam a WEB. E é muito prejudicial”, adverte Nayron.

“Afinal, você está assistindo a você trabalhar em outro computador, que não é aquele que você está. O sistema não está ali a pronto uso para você”, explica. Ele também alerta para a qualidade dos sistemas: “É muito difícil você conseguir ter o mesmo desempenho que um software realmente em nuvem”, completa.

E o fato é que raramente o usuário do sistema emulado têm conhecimento dos riscos que essa prática oferece. Por exemplo, a maior possibilidade de fuga de informações. Os softwares desenvolvidos para desktop utilizam tecnologia antiga, sendo muito mais frágeis e suscetíveis a ataques por hackers. E utilizar simuladores WEB amplia esses riscos.

Por outro lado, um sistema verdadeiramente nuvem tem preocupações como a segurança para uso pela Internet. Afinal, são desenvolvidos com linguagem, engenharia de processamento e regras de segurança próprios para uso pela Internet.

Dessa forma, os sistemas 100% nuvem são softwares desenvolvidos em PHP, Java ou outra linguagem de última geração. Isto é: utilizam-se de computação de alta performance e uma série de dispositivos de segurança, como a criptografia.

> Vídeo: confira o depoimento do diretor de TI Nayron Hubel

Confira agora as principais diferenças entre sistemas Emulado e 100% Nuvem

> Características de um sistema Emulado

Em um sistema Emulado, o processo de assinatura digital é mais lento, visto que suporta apenas um usuário por vez, independente do número de estações de trabalho. Isso acontece porque a simples transferência de um arquivo para o servidor, que emula a aplicação, possui restrições. 

Ao gerar um arquivo de exportação, por exemplo, o usuário não consegue salvá-lo diretamente na máquina local. Dessa forma, precisará utilizar a opção de download do arquivo, o que ocupa a memória interna da máquina.

Por consequência, isso exige mais investimentos em máquinas de grande capacidade de armazenamento, que possuem um custo mais alto. Além do custo necessário para adquirir essas máquinas, ainda existe a necessidade de manutenções constantes.

Além disso, mecanismos de emulação desse tipo permitem acesso através de protocolos pouco seguros, representando risco graves de segurança, especialmente de RANSOMWARE (sequestro de dados).

Confira agora características de uma área de trabalho remota emulada dentro de um navegador WEB:

  • Usa emulação Windows Server;
  • Sistema mais lento;
  • Sistema não responsivo para mobile;
  • Suscetível a falhas de seguranças e sequestro de dados;
  • Desenvolvido em linguagens obsoletas;
  • A compra de licenças é por número de usuários;
  • Assinatura Digital necessita de pré-instalação em ambiente remoto, aumentando a insegurança do sistema;
  • Aceita apenas Certificado Digital A1;
  • Exige investimentos ou altos custos com CPD ou DC.

 

> Como são os sistemas 100% Nuvem

No sistema nativo WEB, quando é iniciada a emissão de um relatório, por exemplo, a atividade é colocada em execução no servidor. Por isso, não chega a ser interrompida caso o usuário finalize o navegador. Neste caso, o usuário receberá aviso ao final do processamento, quando a emissão for concluída, podendo visualizar e emitir o relatório pronto.

Os sistemas em nuvem também permitem fazer o “Agendamento de Tarefas”. Dessa forma, diversos procedimentos podem ser executados no servidor, em qualquer horário.

Além disso, ao contrário do emulado, sistemas 100% nuvem funcionam bem em máquinas com pouca capacidade de processamento e armazenamento. Ou seja, várias vantagens que geram economia com compra ou manutenção de máquinas.

Veja, em seguida, mais vantagens de um sistema nativo WEB:

  • Todo o trabalho é feito direto no navegador WEB;
  • Tecnologia de nova geração;
  • Estado mais avançado de sistemas de gestão;
  • Software desenvolvido em linguagem e engenharia funcional própria para funcionamento pela Internet;
  • Mais seguro contra invasões do sistema;
  • Acessos ilimitados ao sistema com segurança;
  • Assinatura digital realizada na máquina do usuário;
  • Aceita Certificado Digital A1 e A3;
  • Usado pelo judiciário (e-proc) por questões de performance e segurança;
  • Não exige investimentos em CPD pelos clientes.

 

> Vídeo: como a tecnologia IPM ajuda a construir Cidades Inteligentes

Data center exclusivos garantem segurança

A partir do que foi exposto acima, percebe-se que um sistema verdadeiramente Nuvem oferece muitas vantagens e segurança aos seus usuários. E certamente há muitas empresas oferecendo sistemas para trabalhar na Internet. No entanto, você tem certeza de que são sistemas 100% nuvem?

Para não cair em armadilhas, pesquise no mercado por empresas que tenham lastro e garantam entrega de qualidade. Por exemplo, a IPM Sistemas, que está há 25 anos no mercado, mantém um data center de última geração exclusivamente para seus clientes. 

Isto é, as informações são armazenadas em discos criptografados, e só circulam por links protegidos por criptografia. Além disso, o ambiente interno da IPM segue rígidas medidas de segurança. Tudo para garantir a privacidade e a segurança das informações dos clientes.

A tecnologia IPM é 100% nuvem, podendo ser acessada por qualquer dispositivo móvel com acesso à Internet, em ambiente seguro e de alta disponibilidade. Também têm caráter “Multi Entidade”, permitindo que várias entidades (Prefeituras, Fundos, Fundações, Autarquias, Institutos e Câmaras de Vereadores) mantenham suas informações em um mesmo servidor de banco de dados.

 

LEIA TAMBÉM:

> Protocolos rígidos garantem migração de sistema desktop para nuvem

> Conheça 6 vantagens de um sistema de gestão pública com cadastro único

> Como a tecnologia facilita a comunicação e a interação com o cidadão

> 3 formas de reduzir custos com computação em nuvem nas Prefeituras

> Tecnologia agiliza o processo de abertura de empresas

 

Siga a IPM no Linkedin, Facebook, Twitter, Instagram e Youtube

Voltar Página anterior
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter

Retornar ao topo da página