Cidades adotam verificação digital de atestados para evitar fraudes

Por meio de um QR Code, qualquer cidadão pode apurar se o documento é verdadeiro


Uma plataforma de gestão pública baseada na computação em nuvem (cloud computing) está sendo usada por prefeituras de vários estados do Brasil para comprovar a autenticidade de atestados médicos. A medida se popularizou depois que um levantamento feito neste mês pela Assembleia Legislativa do Paraná apontou que 30% de todos esses documentos emitidos no país são falsificados.

Segundo a pesquisa, os atestados fraudados são comercializados por quadrilhas que falsificam as declarações ou, em alguns casos, produzidos pelos próprios pacientes graças ao uso de papéis e carimbos adulterados. Para coibir a prática, a validação acontece via QR Code (código de resposta rápida, em português). A imagem de duas dimensões pode ser lida pela câmera de telefones celulares e tablets, permitindo checar as informações escritas — nome do médico, motivo do afastamento, período de repouso e o nome do paciente. Também é possível atestar a veracidade do documento por meio de um código impresso no próprio documento de dispensa assinado pelo médico, digitando-o por meio de um computador.

O recurso está disponível em diversas cidades do país que utilizam os sistemas de gestão de saúde pública IPM Saúde, o de assistência social IPM Social e o específico para a administração das demandas da Vigilância Sanitária (IPM Vigilância). Os softwares reúnem informações detalhadas sobre a rede de atendimento e outras instâncias das secretarias municipais dos usuários. De acordo com Diogo Bizatto, gerente de desenvolvimento da IPM Sistemas — empresa que criou a plataforma —, a facilidade de acesso aos dados é o que garante a transparência e a validade do documento.

— Qualquer pessoa que tenha um dispositivo eletrônico com câmera e conectado à internet pode acessar a página da prefeitura na internet e inserir o código informado no próprio atestado para conferir a autenticidade — diz.

O identificador é emitido automaticamente em todos os documentos processados pelo IPM Saúde. Além dos atestados, é possível verificar certidões, licenças, declarações de comparecimento, comprovantes de espera de consultas e procedimentos.

O recurso já funciona nas cidades gaúchas de Candelária, Gravataí, Panambi, Santa Rosa e Estrela. No Paraná os municípios habilitados são Tibagi, Campo Largo, Santa Helena, Cascavel, Arapongas, Mamboré e Marechal Cândido Rondon. Em Santa Catarina, Mirim Doce, São Francisco do Sul, Rio do Sul, Ituporanga, Pinhalzinho, Caxambu do Sul e Rodeio também emitem o atestado médico seguro.

Sobre a IPM Sistemas

A IPM Sistemas atua há mais de 20 anos no desenvolvimento de softwares em nuvem destinados à gestão pública, com foco em redução de custos, aumento de receita, qualidade e eficiência no planejamento e execução de serviços. Prefeituras, câmaras de vereadores, fundos, autarquias e fundações estão entre os principais clientes que utilizam os sistemas IPM. A empresa, com sede em Florianópolis e Centro de Tecnologia em Rio do Sul (SC), conta com aproximadamente 300 profissionais que atuam nas áreas de tecnologia e consultoria técnica, e oferecem atendimento às centenas de clientes espalhados pelo País.

Dialetto - assessoria de imprensa
(48) 4009-3223
assessoria@dialetto.com.br

Compartilhe
FacebookTwitterGoogle+Email

Newsletter IPM

Cadastre-se e receba novidades sobre nossos sistemas.

© 2018 IPM Sistemas de Gestão Pública. Todos os direitos reservados.