Tecnologia agiliza o processo de abertura de empresas

09/04/2021 por IPM

O uso da tecnologia é fundamental para agilizar o processo de abertura de empresas, influindo diretamente no fomento à economia. Se antigamente era preciso levar documentos pessoalmente a várias repartições públicas e aguardar semanas para o processo ficar completo, agora é possível ter o negócio regularizado e emitindo notas fiscais em poucos dias.

“Antes tinha um processo para a área federal, outro para a municipal e outro para a estadual. Hoje em dia tu consegue, com um único processo, integrar todos os órgãos”, comemora a contadora Janete Caldas, que atua na Merlo Contabilidade, em Concórdia (SC). “Hoje é tudo muito rápido, é tudo integrado. A gente quase não usa nada de manual, muito pouco”, destaca.

Além das alterações na legislação feitas pelo Governo Federal para incentivar a economia e facilitar a abertura de empresas, contar com sistema em nuvem no Município tem feito a diferença na rotina dos escritórios de contabilidade. 

É o caso da contadora Janete, pois a Prefeitura de Concórdia utiliza o sistema Atende.Net, plataforma única desenvolvida 100% em nuvem. Dessa forma, quando o cliente chega no escritório para abrir uma empresa, ela consegue iniciar o trâmite na Prefeitura com poucos cliques. “Quando libera na Prefeitura, já libera também no CNPJ. Daí a gente já faz solicitação da nota, também é bem rápido”, salienta.

Conforme o Mapa de Empresas Brasil, levantamento feito pelo Governo Federal, em 2020 foram abertas 3.359.750 empresas, o que representa aumento de 6,0% em relação a 2019. Um recorde histórico, evidenciando que a economia tem reagido ao cenário de pandemia. Por outro lado, foram fechadas 1.044.696 empresas, uma queda de 11,3% em relação ao ano anterior.

 

Veja vídeo com depoimento da contadora Janete Caldas




 

Confira as fases de abertura de empresas no Brasil



  • Viabilidade: processo inicia junto ao Município, que informa se a atividade selecionada pode ser exercida no local pretendido;

  • Registro e Inscrição: registro na Junta Comercial e obtenção do CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica), mais inscrições;

  • Licenciamento: obtenção de alvarás e licenças, se a atividade não for dispensada nos termos da Lei de Liberdade Econômica; 

  • Registro de Funcionários: registro no eSocial (Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas), PIS (Programa de Integração Social) e Sindicato.


 

Levantamento nacional mostra queda no tempo de abertura de empresas


Para fomentar a economia, o Governo Federal tem coordenado diversas ações para desburocratizar e agilizar o processo de abertura de empresas. Um dos objetivos é permitir respostas automáticas para o usuário, possibilitando ao cidadão abrir empresa em menos de 1 dia e de forma simplificada.

No entanto, ainda há um longo caminho a ser percorrido. De acordo com o Mapa de Empresas Brasil, o tempo médio de abertura de empresas iniciou o ano de 2020 com registros acima de 4 dias. Em Santa Catarina, foi de 3 dias e 7 horas (2 dias e 18 horas na fase de viabilidade e mais 14 horas para o processo de registro).

Os dados constam do relatório de análise do 3º quadrimestre de 2020, divulgados em fevereiro, pela Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital. O levantamento é publicado pelo Governo Federal a cada quatro meses.

Uma das dificuldades para reduzir esse tempo é a falta de automatização. Conforme o Mapa de Empresas, o processo de abertura de empresas ainda não disponibiliza respostas de forma automática para todas as etapas. Dessa forma, ainda são necessárias interações humanas, as quais ficaram prejudicadas devido à pandemia e à paralisação ou redução das atividades.

Dificuldade essa que foi amenizada nas Prefeituras que usam o sistema de gestão pública da IPM Sistemas. Desenvolvido 100% em nuvem, ele permite o home office nas repartições públicas. Por exemplo, quem comemora os benefícios da digitalização com o Atende.Net é Pinhalzinho (SC).

Lá, o tempo de abertura de empresas caiu de 33 dias e 21 horas em 2019 para 1 dia e 20 horas (tempo da viabilidade) e 12 horas (de registro) em 2020. E ainda viu aumentarem as receitas provenientes de IPTU, ITBI, ISS, taxas de alvarás e outras contribuições: cresceram 46,26% até 2019.

 

Sistema em nuvem permite home office nos órgãos públicos


“Nesse momento de pandemia, que desde 2020 a gente vem sendo assolado com tantos problemas, com tantas crises econômicas, o estado, a nação e o mundo como um todo, a gente notou claramente que o sistema web foi o ponto-chave”, avalia a secretária da Fazenda e Administração de Timbó, Maria Angélica Faggiani.

O município do Vale do Itajaí, em SC, foi o 14° mais bem avaliado no último Índice de Governança Municipal (IGM), de 2020. O levantamento é do Conselho Federal de Administração (CFA) e considera oito grupos. Com cerca de 45 mil habitantes, Timbó está no grupo 4, que é formado por 551 municípios na faixa de 20.001 a 50.000 habitantes.

“Se a gente não tivesse o sistema web, como que as pessoas iriam fazer, já que temos de trabalhar com todas as medidas de segurança, principalmente o isolamento social, o não aglomero de pessoas”, reflete a secretária.

Conforme Maria Angélica, o software em nuvem permitiu reduzir significativamente o movimento interno na Prefeitura, o que é muito importante para o isolamento social. “E isso só é possível porque disponibilizamos um sistema web que passa por transformações constantes. A cada ano, a gente consegue agregar novos serviços, novas ferramentas para facilitar a vida dos contribuintes, deixando mais transparentes as transformações públicas”, salienta.

Tudo isso com considerável economia de papel, afinal, com a inovação chamada Workflow, o sistema da IPM mostra os processos mais complexos no formato de fluxogramas, inclusive para abertura de empresas. Além de exibir na tela a situação em tempo real de cada fase, quais etapas foram executadas ou estão pendentes, a ferramenta não permite passar adiante sem que sejam cumpridas todas as etapas.

Ou seja, promove a automatização da tramitação dos processos entre servidores ou entre setores, a partir de análises automáticas do sistema. 

 

Confira as vantagens de usar um sistema em nuvem




 

Cascavel é destaque no ranking nacional 


A análise do Mapa Empresas Brasil destaca o desempenho apresentado pelo Paraná. Conforme o levantamento, o estado registrou redução considerável de 2 dias e 8 horas no tempo de abertura de empresas em relação ao segundo quadrimestre de 2020.

Por exemplo, somente o tempo relativo à etapa de registro foi reduzido em 73,1%, resultado das ações adotadas para agilizar as análises de registro de empresas empenhadas pela Junta Comercial do Paraná.

No ranking dos municípios com os menores tempos relativos à análise de viabilidade de endereço no terceiro quadrimestre de 2020, destaca-se Cascavel (PR). O município aparece em 7° lugar nacional com 2 horas e 12 minutos. 

A Prefeitura de Cascavel utiliza o Atende.Net para sua gestão pública. Com seus processos otimizados pelo sistema, ganhou mais eficiência e viu a receita própria aumentar 82% desde 2016. O aumento foi de 7% em 2020, em relação a 2019. Ou seja, a administração pública cascavelense tem realizado uma gestão inteligente e eficiente, mesmo com a pandemia de Covid-19.

Colabora para esse resultado o fato de o software ser desenvolvido em plataforma única IPM e oferecer mais de 50 indicadores. Entre eles, estão: comparativo entre receita e despesa; comparativo entre orçado e arrecadado; estatística de pagamento de IPTU; índices de inadimplência; principais receitas do município; entre outros.

Essa tecnologia também possibilita o aumento da arrecadação do município, ao garantir maior controle da cobrança dos impostos, como o IPTU, ISS, ITBI e taxas, bem como oferece diversas funcionalidades para cobrança e fiscalização de tributos. Entre elas, estão emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NFS-e), implantação de Nota Fiscal Premiada e maior controle do ISSQN Bancos. Ou seja, funcionalidades que se revertem em maior arrecadação.

 

Contar com assinaturas digital e eletrônica é fundamental no processo


Dispor de um sistema que permite contar com certificado digital e inserir assinatura digital ou eletrônica em documentos eletrônicos é fundamental para o trabalho home office. E isso é oferecido pelo Atende.Net, sistema de gestão pública 100% em nuvem desenvolvido pela IPM Sistemas.

Segundo levantamento feito junto aos usuários do software em 2020, o uso de assinaturas digitais subiu 268% em relação a 2019. Além disso, foram realizados 3,7 milhões de acessos a serviços públicos via autoatendimento ou aplicativo. Números que refletem o isolamento exigido pela pandemia de Covid-19, que fez as pessoas ficarem em casa, mas sem deixarem de solucionar seus processos. 

Portanto, mesmo com o cenário adverso, o trabalho dos servidores públicos pôde ser mantido nessas cidades, porque o software IPM permite o trabalho remoto, com digitalização de documentos e eliminação de papel. Ou seja, com poucos cliques em um dispositivo com internet, seja em casa ou na repartição pública, o servidor consegue assinar documentos com segurança e rapidez. Processo esse aplicado inclusive na abertura de empresas.

 

Vídeo mostra as vantagens da assinatura digital




 

Sistema em nuvem garante acesso de qualquer lugar


Ao buscarem soluções tecnológicas para uma gestão mais eficiente e econômica, as Prefeituras estão trabalhando o conceito de Cidades Inteligentes. Totalmente on-line, pode ser acessado em qualquer dispositivo móvel com acesso à internet, 24h por dia, em um ambiente seguro e de alta disponibilidade.

Além disso, elimina a necessidade de servidores de banco de dados e de aplicativos, sistemas de gerenciamento de banco de dados (SGBDs), softwares básicos e cabeamentos estruturados. Ainda, com a tramitação de documentos de forma eletrônica, reduz consideravelmente o uso de papel, o que também reverte em economia aos cofres públicos.

Com a funcionalidade de Gestão Eletrônica de Documentos (GED), qualquer processo pode ser catalogado e tramitar de forma integralmente digital, sem uso de papel. A digitalização pode ser feita diretamente no sistema por escaneamento do documento, por captura com câmera, link externo ou upload. Além disso, o sistema converte qualquer documento digitalizado em texto, permitindo a busca por palavra-chave. 

 

LEIA TAMBÉM:


> Nova Lei de Licitações e Contratos é sancionada

> Siafic: prazo para apresentar plano de adequação termina em maio/21

> Sistemas de gestão pública 100% em nuvem facilitam licitações eletrônicas

> Saiba como funcionam as assinaturas digitais e eletrônicas

> Massaranduba é o primeiro município de SC a permitir pagamento via PIX

 

Siga a IPM no Linkedin, Facebook, Twitter, Instagram e Youtube

 

abertura de empresas, Atende.Net, computação em nuvem, tecnologia

Sobre o Autor

IPM

Comentários

Newsletter IPM

Cadastre-se e receba novidades sobre nossos sistemas.

© 2021 IPM Sistemas de Gestão Pública. Todos os direitos reservados.