Como garantir a segurança de dados na gestão da prefeitura

20/12/2016 por IPM

segurança de dadosUma prefeitura costuma lidar com grande quantidade de dados, tanto internos quanto dos munícipes. É fundamental que essas informações, muitas vezes confidenciais, sejam preservadas e não corram o risco de serem perdidas, vazadas ou mesmo roubadas. Nesse sentido, a segurança de dados deve ser uma das prioridades do gestor público, pois o sucesso de uma administração municipal passa necessariamente por ela.

Não se pode contar apenas com a sorte ou confiar em rotinas antigas para cuidar de informações de toda uma cidade.  E aumentar a segurança dos dados não é sinônimo de aumento de gastos. A implementação de ferramentas pode, inclusive, gerar mais economia aos cofres públicos.  Vamos ver a seguir algumas boas ideias que podem ser colocadas em prática nas prefeituras.


Rotinas de segurança de dados


A tecnologia é a principal aliada do gestor público na hora de proteger as informações. No entanto, é possível criar uma cultura de segurança, desenvolvendo rotinas que podem ser seguidas por todos os servidores da prefeitura – principalmente por aqueles que têm acesso direto aos sistemas e aos dados. Afinal, de nada adiantaria o antivírus mais poderoso do mundo se a porta de entrada física não é controlada, não é mesmo?

Não basta colocar equipamentos em uma sala fechada. É preciso saber quem entra e sai, qual o objetivo da pessoa estar ali e, idealmente, o acompanhamento de alguém responsável pelo setor. Isso pode ser feito por protocolos de segurança, com a adoção de barreiras físicas e uma equipe especializada - formada por profissionais de vigilância patrimonial. É importante também que todos que trabalham na prefeitura respeitem as diretrizes e procedimentos.

Outra opção é adoção de datacenters terceirizados. Esses centros de informação já contam com toda a infraestrutura de energia, refrigeração e links, além de permitirem o acesso aos sistemas de dados apenas aos responsáveis com solicitação e autorização prévias. Assim funciona o cloud computing, ou computação em nuvem, que abordaremos com mais profundidade no próximo item.


Principais vantagens de um sistema cloud computing


Os benefícios da adoção de cloud computing em prefeituras são percebidos na segurança dos dados, mas também em muitos outros aspectos. Logo depois da implantação e do período de treinamento, a eficiência melhora notavelmente, pois os processos passam a funcionar em nuvem. As vantagens de investir num sistema assim faz valer a pena o investimento.


1. Otimização do trabalho dos funcionários


O sistema é intuitivo e centralizado em uma só plataforma, evitando conflito de dados e retrabalho. Desse modo, perde-se menos tempo com a resolução de problemas e os servidores podem ser deslocados para realização de trabalhos mais estratégicos.


2. Proteção contra desastres naturais


Por exemplo, uma enchente pode danificar todo o sistema de informação de uma prefeitura. Outros problemas como incêndios e desabamentos podem ter os riscos minimizados caso a estrutura fique numa nuvem, evitando a exposição à desastres.


3. Comodidade para os cidadãos


Os dados da prefeitura estarão disponíveis 24 horas por dia não apenas para gestores e servidores públicos, mas para os cidadãos. Sem necessidade de deslocamento físico, eles podem resolver seus problemas com mais agilidade, sem sair de casa. Isso pode ser revertido, inclusive, em uma maior arrecadação de impostos.


4. Estabilidade dos sistemas


Com uma equipe de monitoramento que atua ininterruptamente, os datacenters podem atuar com flexibilidade, de acordo com a demanda. Quando se percebe que há um aumento da busca por dados, um ajuste fino é feito para que o serviço não seja interrompido e nem os usuários finais sejam afetados.


5. Segurança de dados


Todos os pontos anteriores também remetem à segurança de dados, mas as vantagens do cloud computing nesse quesito vão além. Nos datacenters há um rigoroso controle de temperatura nas salas onde ficam armazenados os servidores, evitando problemas técnicos causados por superaquecimento. O investimento em tecnologia feito por uma empresa que oferece serviços de computação na nuvem também é mais alto, se comparado com os recursos disponíveis nas administrações municipais para esse fim. Assim, o risco de invasões e ataques de hackers é reduzido, se comparado ao de um sistema simples. No caso da IPM, por exemplo, o banco de dados está hospedado em diversos servidores, com o auxílio de um robô de backup firewall e fluxos de informações de forma criptografada.

Quer saber mais sobre a adoção de cloud computing em prefeituras e seu resultado prático? Baixe o nosso e-book sobre o assunto.

Sobre o Autor

IPM

Comentários

Newsletter IPM

Cadastre-se e receba novidades sobre nossos sistemas.

© 2020 IPM Sistemas de Gestão Pública. Todos os direitos reservados.