História da computação em nuvem: como surgiu a cloud computing? - IPM
IPM - Blog
Administração Geral Administração Geral

A computação em nuvem, cloud computing, se torna cada dia mais fundamental para impulsionar os negócios e agilizar o trabalho das equipes.

Grandes companhias mundiais como Google e Amazon utilizam essa tecnologia de armazenamento.

A transformação digital cresce com mais força e permite a redução de custos para as organizações, sejam elas públicas ou privadas.

Ao substituir o armazenamento de dados em desktop para o armazenamento na nuvem, é possível garantir a segurança das informações e ainda ampliar as formas de acesso a elas.

Por isso, a nuvem tem ganhado relevância no presente e deve manter sua importância no futuro.

Entretanto, o que pouca gente sabe é que a cloud computing já vem sendo discutida décadas antes e seu surgimento está atrelado ao surgimento da internet.

Porém, para entender como essa tecnologia vem transformando positivamente a nossa rotina, é necessário conhecer sobre a sua história.

Confira a seguir como surgiu a computação em nuvem, quando ela começa a ganhar força, e quais são as expectativas para o futuro.

 

Computação em nuvem: como surgiu?

Apesar de ter ficado conhecida poucas décadas atrás, a computação em nuvem já existia há muito anos, desde a década de 1950.

Naquele tempo, as máquinas eram extremamente caras e a maioria das organizações tinham apenas uma ou no máximo duas máquinas.

Os usuários acessavam o computador central de mainframe, máquina para o processamento de grandes volumes de informações, a partir de estações conectadas.

Mas foi apenas anos depois, na década de 1960, que a computação em nuvem foi ganhando forma.

Pode-se dizer que o conceito de computação em nuvem surgiu com dois grandes especialistas na área.

Primeiramente, o americano John McCarthy discutiu o uso compartilhado do computador, de forma simultânea, por dois ou mais usuários. O conceito foi chamado por ele de “Utility Computing”.

Anos mais tarde, McCarthy ficaria conhecido como o “pai da inteligência artificial” e inventor da programação Lisp.

Passados mais alguns anos, foi a vez de Joseph Carl Robnett Licklider estudar novas formas de usar o computador. Lick ajudou a desenvolver a Rede de Agências de Projetos de Pesquisa Avançada (ARPANET).

Inclusive, a ARPANET foi a primeira rede que permitiu o compartilhamento de informações entre computadores que não estavam no mesmo local físico.

O objetivo do pesquisador era que a conexão pudesse ser feita de qualquer lugar e que estivesse disponível a qualquer horário.

Em síntese, são estes os conceitos da computação em nuvem: disponibilidade e acessibilidade.

 

Como surgiu o termo nuvem?

As ideias dos pioneiros da nuvem ficaram em standby por um bom tempo. Até que, por volta da década de 1990, algumas empresas de telecomunicações passaram a criar redes virtualizadas de qualidade que custava menos.

Portanto, essas empresas passaram a fornecer aos seus usuários o acesso compartilhado à mesma infraestrutura física.

Além disso, com o passar do tempo, a população começou a ter mais acesso à tecnologia.

Em 1997, o termo “computação em nuvem” foi utilizado pela primeira vez pelo professor de sistemas de informação Ramnath Chellappa em uma palestra acadêmica.

O termo foi inspirado no símbolo da internet, a “nuvem”, que representa algo que está “no ar“.

 

Cloud: quando começa a ganhar força?

A partir dos anos 2000, a tecnologia cloud computing passa a ganhar mais força, ao ser oferecida comercialmente.

Neste período, a Amazon surge permitindo que empresas e indivíduos alugassem computadores virtuais, onde poderiam usar seus próprios serviços e aplicativos.

Esse conjunto de serviços incluía armazenamento, computação e inteligência humana, tudo baseado em nuvem.

Paralelamente, a Google lança seus serviços no mercado de nuvem com custos baixos e inovações.

No ano seguinte, a Microsoft Azure criou sua plataforma especial para execução de aplicativos e serviços, baseada também nos conceitos da computação em nuvem.

Em 2007, a Netflix lança seu serviço de streaming de vídeo, usando a nuvem para transmitir filmes e outros conteúdos para os computadores de milhares de assinantes em todo o mundo.

A partir daí, empresas de vários tamanhos começaram a adotar o armazenamento. Ou seja, de lá pra cá o investimento na nuvem só cresce.

 

Cloud computing: tecnologia do futuro?

Nos últimos anos, temos visto que a computação em nuvem está cada vez mais presente em nossa rotina pessoal e profissional.

Empresas de todo o mundo buscam a modernização dos seus serviços, para facilitar o trabalho dos profissionais e conquistar mais clientes.

De acordo com uma pesquisa realizada pela 451 Research, nos próximos anos, 90% das organizações usarão algum tipo de serviço de computação em nuvem.

No entanto, essa transformação se apresenta não só em setores privados, como também em setores públicos.

A Gestão Pública vem substituindo a burocracia dos serviços pela agilidade e qualidade no atendimento aos cidadãos.

As Prefeituras Digitais têm ganhado força, e os municípios procuram cada vez mais modernizar suas atividades, através da computação em nuvem.

Para usufruir das vantagens da nuvem em órgãos públicos, é necessário contar com um sistema de gestão que integre todos os setores de uma Prefeitura.

A IPM Sistemas é líder e pioneira em oferecer um software de gestão 100% em nuvem para o setor público.

Somando conquistas em vários estados do país, a IPM prova que é possível desburocratizar os serviços públicos e oferecer um novo modelo de gestão, com o auxílio da tecnologia.

Utilizando o Atende.Net, os municípios ganham otimização dos serviços, redução de custos com papéis, impressão, materiais de expediente, além dos custos com deslocamentos, investimentos em administração de CPDs, SGBD e outros ativos.

Assim, a Prefeitura contribui para a sustentabilidade do meio ambiente e a gestão pode ter um controle mais amplo de todas as áreas que envolvem o município, fazendo com que sua arrecadação aumente e possibilite o investimento em outros setores.

 

LEIA TAMBÉM:

> Você sabe o que um Programador de Sistemas faz?

> Você sabe o que um Engenheiro de Software faz?

> Sistema Emulado x 100% Nuvem: confira as principais diferenças

> Computação de Alta Performance e as vantagens para órgãos públicos

> 6 vantagens de um sistema de gestão pública com cadastro único

 

Siga a IPM no Linkedin, Facebook, Twitter, Instagram e Youtube

 


Voltar Página anterior
Newsletter

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter

Retornar ao topo da página